Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Morre o segundo donatário e assume sua esposa

Luiza Grinalda, esposa de Vasco Fernandes Coutinho filho. - Obra em exposição na Casa da Memória de Vila Velha-ES

Vasco Fernandes Coutinho (filho) faleceu em 1589,(40) sucedendo-lhe na direção da capitania sua viúva, D. Luísa Grinalda, que nomeou seu adjunto no governo o capitão Miguel de Azeredo.(41)

A administração de Coutinho (filho) distinguiu-se, principalmente, pelo sentido de estabilidade que imprimiu ao senhorio. Foi durante sua gestão, graças à paz e sossego reinantes, que os habitantes conseguiram fixar-se, em definitivo, na terra e demonstrar, pela construção de engenhos, desenvolvimento efetivo da catequese e levantamento da igreja dos jesuítas – para apontar tão somente três expressivas demonstrações de desejo de fixação na gleba – confiança no futuro e preocupação de continuidade na nova pátria.

Meses após a morte do segundo Vasco, chegaram à capitania os dois primeiros frades franciscanos – Antônio dos Mártires e Antônio das Chagas – que, pouco depois, iniciavam a construção, em Vitória, do convento de S. Francisco.(42)

No mesmo milésimo, os beneditinos padre frei Damião da Fonseca e irmão Basílio vieram da Bahia com o intuito de fundar, na Vila Velha, um mosteiro da sua ordem. Acolhidos benevolamente, “seospedaraõ emcaza de D. Luiza Grimalda, Capitoâ, e Governadora dela”. Dois anos mais tarde, obtinham “huma sorte deterras” na vila da Vitória, onde pretendiam “fundar outro Mosteiro”.(43)

 

NOTAS

(41) - MÁRIO FREIRE registrou “Miguel Antônio de Azeredo” (Capitania, 36).

(42) - Segundo a tradição, Vasco Coutinho (filho), impressionado com as noticias do zelo com que os franciscanos trabalhavam nos conventos e missões do norte do Brasil, pediu ao custódio daquela Ordem, então na Bahia, a vinda de alguns religiosos para o Espírito Santo. Atendido, não coube ao donatário assistir à chegada dos padres a seu senhorio.

Receberam-nos, festivamente, as pessoas mais distintas da terra: a governadora e seu adjunto, o “vigário desta Vila da Vitória, e ouvidor da vara nesta Capitania” padre Francisco Pinto, Marcos de Azeredo etc. Depois de nobre contenda sobre quem hospedaria os recém-vindos, coube a Marcos de Azeredo a disputada honraria. Mais tarde, transferiram-se para uma pequena casa provisória que edificaram, até que, em 1591, começaram a construção do convento definitivo, em terreno doado à Ordem por escritura assinada pela governadora, seu adjunto e a Câmara (da vila da Vitória) (RÖWER, O Convento, 34 ss).

(43) - Notícias Verdadeiras, 56. – Nova sesmaria conseguiram os beneditinos em 1594, conforme atesta o seguinte assentamento: “Em vinte e quatro de Maio de 1594 pedio o Ir. Fr. Bazilio e lhe foi dada por sesmaria pela dita D. Luiza Grimalda (Capitoâ, egovernadora com o seu adjunto Miguel de Azevedo huma ilha na mesma Vilha Velha que fora de d.ª Senhora, e estava no Campo. Nasua petisaõ diz o dito Irmaõ que ele fora com o Padre Fr. Damião em 1589 edificar o Mosteiro na dita villa tendo já caza que foi dadita D. Luiza” (Notícias Verdadeiras, 57).

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, junho/2017

Vasco Fernandes Coutinho

Reabilitação Histórica de Vasco Fernandes Coutinho

Reabilitação Histórica de Vasco Fernandes Coutinho

Mandou V. S. dar sepultura decente aos ossos do primeiro donatário, Vasco Fernandes Coutinho, que, soterrados em uma área, ainda se conversam relíquias dele

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Crise – Armando os engenhos

Basta dizer que, em 1552, a capitania não rendia o suficiente para pagar ao padre Gomes Ribeiro

Ver Artigo
Ainda a carta de delação de Duarte de Lemos

Vem, a seguir, a delação da fuga de Coutinho para a França, que calamos por inconseqüente

Ver Artigo
Vasco Coutinho à testa do governo – Auxílio a Pero de Góis

Pero de Góis estivera no Espírito Santo e daqui levara para S. Tomé um mestre de açúcar

Ver Artigo
Regresso do donatário Vasco Fernandes Coutinho

Talvez o regresso se tivesse verificado em 1547, na frota mencionada na carta de Fernando Álvares de Andrade, ou pouco depois

Ver Artigo
Produção de açúcar na era Vasco

Primeiro carregamento – Minucioso relatório a carta de Ambrósio de Meira. Tudo quanto dizia respeito ao interesse da Fazenda Real registrou cuidadosamente

Ver Artigo