Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Comandante Duarte Carneiro - Por Elmo Elton

Rua Comandante Duarte Carneiro, paralela ao Palácio Anchieta, se estendendo até quase a entrada do Viaduto Caramuru - Google Maps

Aberta no governo de Florentino Avidos. Começa na Praça João Clímaco e termina na Rua Francisco Araújo, quase à entrada do viaduto, que liga esta última à Dom Fernando. Para que fosse possível a abertura dessa artéria construiu-se um muro de arrimo, do lado direito, para a contenção do terreno onde se erguem os prédios que dão frente para a João Clímaco. Construiu-se, também, um outro muro, alto e de pedra, para sustentação de parte do terreno fronteiro à igreja de São Gonçalo. Esse terreno formava uma barreira (a barreira do São Gonçalo, como a ela se referiam os antigos moradores da redondeza), a mesma se alongando até a Rua Francisco Araújo, estreitando-a. Hoje, a Duarte Carneiro dispõe de boas residências, edificadas justamente nos terrenos que, com o correr dos tempos, foram sendo aplainados, na parte antes murada.

O patrono, Inácio Pereira Duarte Carneiro, iniciou, em 1814, a construção de uma estrada ligando esta capitania a Ouro Preto e Mariana, "o mais arrojado e temerário empreendimento praticado pela monarquia ao Espírito Santo".

Quando da proclamação da independência do Brasil, no cargo de comandante das Armas, em Vitória, teve que enfrentar os inimigos da Junta do Governo Provisório (1822), vencendo-os. Era homem sincero, trabalhador e corajoso, daí ter seu nome reverenciado pelos historiadores capixabas.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2017

Bairros e Ruas

Primeiros moradores do Farol de Santa Luzia

Primeiros moradores do Farol de Santa Luzia

Os primeiros moradores da região do Farol de Santa Luzia, na Praia da Costa, Vila Velha, foram...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Vila Rubim

A Cidade de palha, sítio do Dr. Leopoldo Cunha, era composta de casas de sapé. Talvez a primeira favela de Vitória

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Rua Cais de São Francisco (ex-cais de São Francisco)

Quem passa hoje, pela rua Cais de São Francisco, fica intrigado com esta denominação. Ora, por que tal nome, se não há ali cais algum?

Ver Artigo
Rua Sete de Setembro (ex-rua da Várzea)

Partia da Prainha (largo da Conceição) e terminava na rua da Capelinha (atual Coronel Monjardim), hoje se alongando até a Fonte Grande

Ver Artigo
Rua Wilson Freitas (ex-ladeira Pernambuco)

Tem início na rua do Rosário. A antiga ladeira, que ganhou calçamento no governo de Florentino Avidos, servia de acesso aos terrenos da Capixaba, antes da total urbanização dessa área

Ver Artigo