Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Cercadinho – Por Edward Athayde D’Alcântara

Vista aérea do Convento da Penha mostrando a região do Cercadinho

Ao arredor, encosta do Morro Jaburuna (morro da caixa d’água), ficava o Cercadinho.

Pertencia à família Queiroz. Lá residiam somente umas três famílias, dentre elas a do Arnaldo Guizen pai de Arnaldinho, Arnalcy e Romeu, marido de Dona Jandira. O Cercadinho era separado do Centro pelo Córrego da Enserica e lá se chegava pela Rua Cabo Ailson Simões (caminho utilizado pelos moradores dos arredores) e Vinte e Três de Maio (utilizado pelos moradores do centro).

Conheci um terraço logo atrás no morro do Cercadinho, utilizado para a prática de tiro ao pombo. Aos domingos, ali se encontravam os aficionados do esporte, trazendo cada um sua arma e pombos. Soltava-os um a um e os abatiam em pleno vôo. Era muito triste vê-los tirarem dos pombos a aparente liberdade...

 

Nota do Site:

Observa-se na foto, conforme disse o autor Edward (Seu Dedê), pela Rua Vinte e Três de Maio não se conseguia acessar o Cercadinho porque o Canal da Enserica o separava do Centro. Quem morasse do outro lado do canal tinha que chegar pela Rua Cabo Ailson Simões

 

 

Fonte: Memória do Menino...e de sua Velha Vila, 2014
Autor: Edward Athayde D’Alcântara
Produção: Casa da Memória de Vila Velha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2020

Bairros e Ruas

Rua Francisco Araújo (ex-rua do Egito)

Rua Francisco Araújo (ex-rua do Egito)

Em 1925 a construção do viaduto sobre a Rua Caramuru ligou a Francisco Araújo à rua Dom Fernando

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Bairro Glória – Por Edward Athayde D’Alcântara

O Bairro Glória era conhecido como “A Fábrica” por ter ali recebido a transferência da fábrica de bombons Garoto

Ver Artigo
Rua Nestor Gomes (ex-ladeira do Chafariz)

No governo de Florentino Avidos, a área foi urbanizada, pondo-se abaixo todos os casarões antigos ali existentes 

Ver Artigo
IBES 70 ANOS

O Ibes já foi um projeto mais ambicioso, em número de unidades projetadas, prevendo espaços para equipamentos comunitários, o primeiro desse estilo no Estado

Ver Artigo
Escadaria Maria Ortiz

Ao tentar alcançar a parte alta da vila, subindo estreita rampa, conhecida como ladeira do Pelourinho, os corsários foram surpreendidos pela jovem Maria Ortiz

Ver Artigo
Escadaria Bárbara Lindenberg – Por Elmo Elton

Ficou conhecida como ladeira das Colunas, sendo que, após a visita de Dom Pedro II ao Espírito Santo, em 1860, passou a denominar-se ladeira do Imperador

Ver Artigo