Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Anchieta - De como foi enviado ao Brasil

Santo Padre José de Anchieta

Não tendo já os médicos o que fazer e tendo novas dos Padres da Companhia, da terra do Brasil, que a terra era muito sadia, determinaram, com parecer também dos médicos, que fosse enviado a ela e que poderia ser que com um novo céu, nova terra, novos ares e novo mantimentos houvesse nele e, em sua disposição, nova mudança. Parece que por estes meios quis o Senhor nesta terra transplantar esta generosa planta, onde desse mais excelente e copioso fruto, do que pudera dar em Portugal, ainda que tivera [acolá tivesse] perfeita saúde. Assim para bem de muitos veio em companhia do Pe. Luís da Grã no ano de 1553, onde pela misericórdia do Senhor com a benignidade do clima, favor dos ares mais puros, facilidade dos mantimentos, cobrou perfeita saúde, qual em corpo tão desengonçado se podia esperar, e nele viveu 44 anos com grandes trabalhos e incomodidades e notável falta de coisas necessárias para a vida humana, como, em parte, se verá desta relação.

Entrando no navio lançou logo mão do fogão e cozinha, assim como da despensa dos Nossos,(2) com que a todos veio servindo, começando nosso Senhor a lhe dar esperanças de melhor disposição, que lhe havia de conceder, pois ele assim o mostrava que havia de se aproveitar dela e empregá-la em servir a Deus como sempre fez.

Chegando à Bahia, em que esteve pouco tempo nela, foi enviado à Capitania de S. Vicente, onde residia a maior parte dos da Companhia que estavam no Brasil. Aí achou o Pe. Manuel da Nóbrega, o qual conhecendo a muita virtude do Irmão [Anchieta] e as muitas partes [qualidades] que nele havia, para se poder ajudar dele, lançou mão dele e o teve por companheiro quase em todos os seus trabalhos e ocupações, em especial depois que chegou a saber [conhecer] a língua do Brasil, que em tudo lhe servia de interprete.

 

NOTAS

(2) Quando fala dos "Nossos", se entendem os companheiros jesuítas

 

Fonte: Anchieta: um santo desconhecido? – 2014
Organização: Padre Illário Govoni
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2020
Onde comprar o livro: Santuário de Anchieta, Anchieta/ES ou Marques Editora, Belém-PA

 

 

 

 

 

 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

De como o Padre Anchieta continuou a conversão dos índios

Era muito amado pelos Índios pela sua brandura com que procurava o bem de suas almas

Ver Artigo
Do fruto que Nosso Senhor tirou do seu cativeiro

A primeira foi de um menino que, por não ser legítimo, uma velha sua avó o enterrou vivo

Ver Artigo
De como Anchieta leu (ensinou) latim

Obreiros que trabalhariam nesta grande vinha do Senhor, da conversão dos naturais da terra

Ver Artigo
De como Anchieta esteve cativo entre os Tamóios

Pasmavam os carnais Tamoios de ver um mancebo rodeado de um fogo babilônico e estar nele sem se chamuscar um cabelo

Ver Artigo
De como Anchieta aprendeu a língua do Brasil

Este zelo, que por via da língua aproveitar [ajudava] aos índios, não se diminuiu nele com a velhice e pesadas enfermidades

Ver Artigo