Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1854 – Por Basílio Daemon

Faleceu o naturalista João Teodoro Descourtilz, na Vila de Santa Cruz,1854

1854. É removido por decreto de 9 de janeiro deste ano, da comarca do Rio Formoso, em Pernambuco, para a comarca da Vitória, o juiz de direito bacharel Lourenço Caetano Pinto,(587) que prestou juramento e assumiu o exercício a 25 de abril deste ano.

Idem. É nomeado por decreto de 16 de janeiro 1º chefe de Polícia independente do cargo de juiz de direito o bacharel Antônio Tomás de Godói,(588) em virtude do decreto nº 1.295, de 16 de dezembro do ano antecedente, que declarou especial na província o dito cargo.

Idem. São, no mês de março deste ano, justiçados em Benevente por enforcamento Manoel de Alvarenga Coutinho e Severo, escravo de Manoel Joaquim Ferreira da Silva, acusados como autores da morte de Jacinto Antônio de Jesus Matos, que sempre declararam e publicaram até do alto do patíbulo, que morriam inocentes, porque não eram eles os assassinos de Jacinto Matos, nem foram para isso falados por pessoa alguma. Neste processo foram envolvidas D. Joana dos Santos Chaves, sogra, e D. Helena Ferreira da Silva, mulher do assassinado, tendo a Relação da Corte confirmado a apelação do juiz de direito, mandando todos os indiciados responder a novo júri.(589)

Idem. Instalou-se neste ano, à uma e meia hora da tarde do dia 25 de abril, o Liceu da Vitória, (590) com assistência de todas as autoridades civis e militares e mais pessoas gradas. O respectivo diretor do Liceu, padre Dr. João Clímaco de Alvarenga Rangel, nesta ocasião recitou um importante discurso de inauguração.

Idem. É descoberta neste ano, nas margens do rio Grande, no município de Guarapari, uma mina de gesso, que tem até hoje servido para diversas obras, entre elas para gessamento das casas.(591)

Idem. É confirmada a 6 de abril deste ano a nomeação do negociante Vicente José Gonçalves de Souza, para vice-cônsul de Portugal nesta província.(592)

Idem. É instalada a 25 de maio deste ano a 1ª sessão da 10ª legislatura da Assembleia Legislativa Provincial, concernente aos anos de 1854 a 1855, sendo composta dos deputados: coronel João Nepomuceno Gomes Bittencourt, Luís Vicente Loureiro, Caetano Dias da Silva, padre João Luís da Fraga Loureiro, capitão João Crisóstomo de Carvalho, Manoel Ferreira de Paiva, coronel Dionísio Álvaro Resendo, coronel José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim, Manoel Goulart de Souza, José Barbosa Meireles, padre Manoel Antônio dos Santos Ribeiro, José Pinto de Alvarenga Funcho, capitão Francisco Rodrigues de Barcelos Freire, padre Mieceslau Ferreira Lopes Wanzeller, Torquato Caetano Simões, Manoel Ferreira das Neves, bacharel Júlio César Berenguer de Bittencourt, João Martins de Azambuja Meireles, Inácio de Melo Coutinho Vieira Machado e padre Joaquim de Santa Maria Madalena Duarte.(593) Na sessão do primeiro ano da legislatura foi composta a mesa; presidente coronel José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim, 1º secretário padre João Luís da Fraga Loureiro, 2º secretário capitão Francisco Rodrigues de Barcelos Freire.(594) No segundo ano foi composta a mesa: presidente coronel José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim, 1º secretário padre João Luís da Fraga Loureiro, 2º secretário José Pinto de Alvarenga Funcho.

Idem. São criadas neste ano pela lei provincial nº 4 as primeiras escolas públicas para o sexo feminino, na cidade de São Mateus e vila de Itapemirim.(595)

Idem. É decretada pela lei provincial nº 9,(596) de 24 de julho deste ano, a construção de um cemitério público nesta capital. Esta obra foi com efeito começada, mas, como a maior parte das obras desta província, nunca foi concluída, apesar de terem-se despendido com este cemitério não poucos contos de réis.

Idem. Falece neste ano, no dia 7 de setembro, o major Francisco de Paula Xavier, ascendente da família Neves Xavier. Foi o finado um prestante cidadão, tendo ocupado diversos cargos públicos, finando-se na idade de setenta e cinco anos, sempre estimado e respeitado de todos. Seu enterro foi muito concorrido não só pelas irmandades como por numeroso concurso de povo, sendo-lhe feitas as honras funerárias por uma guarda de honra comandada pelo capitão Soledade, e inumado na sepultura da família.

Idem. Neste ano é levantada uma carta geral da província do Espírito Santo pelo capitão de engenheiros Pedro Torquato Xavier de Brito, feita sob os trabalhos parciais de Martius, Spix, do governador Pontes e engenheiro Freycinet.(597)

Idem. Falece no Riacho e é conduzido seu cadáver para a vila de Santa Cruz, onde foi enterrado, o naturalista francês Dr. João Teodoro Descourtilz, em consequência de um envenenamento, resultado das preparações arsenicais de que fazia uso para as dissecações dos animais que preparava; foi o primeiro que nesta província fez coleções entomológicas; remeteu para o Museu Nacional e para a Europa, não só a coleção de pássaros como de lepidópteros, coleópteros, ortópteros e himenópteros.(598) Sua Majestade, a imperatriz, às suas expensas, mandou publicar e imprimir com estampas coloridas um primoroso volume, em que se vê retratada a coleção de pássaros feita na província por este hábil e inteligente naturalista.

 

587 “Com vistas de melhorar a administração da justiça nesta província, acaba o governo imperial de separar os dois cargos de juiz de direito da comarca desta capital, e de chefe de Polícia da província...” [Relatório do Exmo Sr. Dr. Sebastião Machado Nunes, presidente da província do Espírito Santo, na abertura..., 25 de maio de 1854, Administração da Justiça, p. 9]

588 Idem

589 “A relação da Corte julgou procedentes as razões de apelação do juiz de direito da comarca de Itapemirim, e mandou que respondessem a novo júri as rés D. Joana dos Santos Chaves, e D. Helena Ferreira da Silva, comprometidas no assassinato de seu genro e marido Jacinto Antônio de Jesus Matos, as quais rés haviam sido absolvidas pelo júri de Benevente.” [Jornal A Regeneração, Vitória, 11 de janeiro de 1854, nº 8, p.2, Notícias Diversas]

590 “O Liceu da Vitória, cuja existência data apenas do ano passado, não pode já ter produzido todo o benefício, que com que razão dele se espera, entretanto marcha regulamente; e já dele sairão aprovados no fim do ano passado três estudantes em Filosofia, oito em Latim, três em Aritmética e Geometria, e um em Francês.” [Relatório com que o Exm. Sr. Dr. Sebastião Machado Nunes presidente da província do Espírito Santo abriu..., 25 de maio do corrente ano, 1855, Instrução Pública, p. 22]

591 “Em 1854 descobriu-se uma mina de gesso ou de alvaiade nas margens do rio Guarapari...” [Nery, Lembranças, p.148] (b) “À margem do rio Grande, em Guarapari, descobriu-se em 1854 uma mina de gesso, ou alvaiade, de que se tem usado como cal.” [Vasconcelos, Ensaio, p. 41]

592 “Erguido no alto da ladeira, havia um Arco do Comércio, de cor bronzeada, singela e elegante construção da qual se desincumbiram o comerciante José Francisco Ribeiro, o negociante lusitano José Gonçalves de Araújo Viana e o vice-cônsul de Portugal, Vicente José Gonçalves de Souza.” [Rocha, Viagem, p. 66]

593 Ofício de Assembleia Legislativa: Relação nominal dos membros da Assembleia Legislativa que se acham reunidos em sessão preparatória. 25 de maio de 1854.

594 Relatórios da Assembleia Legislativa Provincial: Lista de membros que compuseram a primeira mesa da 1º sessão da 10º legislatura da Assembleia Legislativa Provincial. 25 de maio de 1854.

595 Lei provincial nº 4, de 14 de junho de 1854, Art. 1º e 2º: São criadas escolas públicas para o sexo feminino na cidade de São Mateus e vila de Itapemirim. [p. 17]

596 Lei provincial nº 9, de 24 de julho de 1854, Art. 1º: Fica definido que a câmara municipal de Vitória terá de construir uma ponte de madeira até a ilha do Príncipe, onde será construído o novo cemitério municipal. [p. 31]

597 Brito, Carta da província do Espírito Santo, 1854.

598 (a) “O Dr. Teodoro Descourtilz, botânico inteligente e ativo; que foi mandado em 1851 pelo governo imperial à província do Espírito Santo, onde faleceu, para coligir produtos de história natural, fez uma rica coleção de amostras de cristais de todas as cores, encontradas em um lugar, que chamam Pedra Branca no caminho que vai para o Aldeamento Imperial Afonsino...” [Vasconcelos, Ensaio, p.48] (b) “O ecologista francês, adjunto da 1ª secção do nosso Museu Nacional, envenenou- -se com as preparações arsênicas, a 13 de janeiro de 1855, no Riacho. O seu corpo foi conduzido para aquela vila [de Santa Cruz] onde o autopsiaram e sepultaram.” [Rocha, Viagem de Pedro II, p.171]

 

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2018

 

 

História do ES

Mané Cocô - Por Elmo Elton

Mané Cocô - Por Elmo Elton

Foi construído um reservatório que passou a servir, ao palácio, repartições públicas e residências particulares dos abastados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo