Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Descida Ecológica do Rio Jucu

Décima oitava Descida Ecológica do Rio Jucu, 2007

Verdadeira declaração de amor ao rio Jucu. É o maior evento de defesa dos recursos hídricos do País”, comemora o secretário da Associação Barrense de Canoagem

Aproximadamente 2,5 mil pessoas participaram da 18ª Descida Ecológica do Rio Jucu este ano

Sensibilizar a população sobre a importância da preservação, conservação e recuperação dos recursos hídricos. Com esse objetivo é realizado todos os anos a Descida Ecológica do Rio Jucu, evento que reuniu mais de 10 mil pessoas este ano e é considerado o maior do gênero no País.

“Começamos com 10 atletas, em 1988, e hoje temos cerca de 2,5 mil pessoas dentro do rio, sendo que 10 mil estão mobilizadas em torno da descida. É o maior evento de defesa dos recursos hídricos do País”, comemora o secretário da Associação Barrense de Canoagem (ABC) e um dos organizadores da descida, Eduardo Pignaton.

Segundo ele, a descida visa integrar esporte, entretenimento, turismo e educação ambiental, articulando poderes públicos e privados, setores produtivos e a sociedade civil.

“A partir dela, as pessoas passam a ter uma visão de dentro do rio para fora. Partimos do pressuposto de que quanto mais gente usar o rio, mais ficará claro a necessidade de preservá-lo”, conta.

Mas a descida não se resume só ao trabalho de educação ambiental. Ela foi a grande motivadora para a criação do Consórcio Jucu-Santa Maria e é o primeiro movimento do Estado a mobilizar a sociedade para discutir os problemas das águas.

Além disso, a ABC já moveu cerca de 280 ações judiciais contra a degradação do rio. Pignaton informa que a intenção é mobilizar o Ministério Público para que ele possa atuar propondo ações em prol da conservação dos rios capixabas.

PROTOCOLO

Em sua 18º edição, a descida foi marcada pela assinatura de um protocolo de intenções assinado pelos municípios que são cortados pelo rio.

A assinatura do termo de compromisso ocorreu antes da largada e foi feita por representantes de Vila Velha, Viana, Cariacica, Serra, Vitória, além da ABC e o Instituto Ecobacia. Juntos, eles se comprometeram a não permitir o lançamento de esgoto no rio, meta a ser atingida no prazo máximo de 10 anos.

Apesar de sua significativa importância, o rio Jucu vem sofrendo grandes impactos com o lançamento diário de esgotos doméstico e industrial, contaminações por agrotóxicos, desmatamentos, queimadas, assoreamento e desperdício de água. A descida ecológica é um ato de alerta para os problemas de degradação ambiental do rio.

A descida

• Quando – A descida é sempre feita próxima ao Dia Internacional das Águas (22 de março).

• Participantes – Barqueiros, canoístas e ambientalistas.

• Procedimentos – É realizado o embarque dos barcos pesados e canoas, no sábado, na Barra do Jucu, que são levados até Viana. No domingo pela manhã, 15 ônibus e diversos caminhões saem da Praça da Barra e vão até a localidade de Jucuruaba.

• Largada – É feita às 9 horas em direção à Barra do Jucu.

• Percurso – Ao todo, são 25 quilômetros com duração média de quatro horas. Mas há pessoas que preferem realizar churrascos ao longo do trecho, o que dá ao passeio uma conotação familiar.

• Objetivo – O evento reúne esforços para conscientizar a comunidade e buscar soluções para a recuperação e preservação dessa importante fonte de água e vida que é o rio Jucu.

Fonte: Associação Barrense de Canoagem

 

Fonte: A Tribuna, Suplemento Especial Navegando os Rios Capixabas – Rio Jucu – 26/08/2007
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2016

Ecologia

Dia Mundial do Meio Ambiente

Dia Mundial do Meio Ambiente

O meio ambiente e a ecologia passaram a ser uma preocupação em todo o mundo, em meados do século XX. Porém, foi ainda no séc. XIX que um biólogo alemão, Ernst Haeckel (1834-1919), criou formalmente a disciplina que estuda a relação dos seres vivos com o meio ambiente, ao propor, em 1866, o nome ecologia para esse ramo da biologia.

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Projeto Águas Limpas ajuda a preservar

Quando a Cesan faz as redes, a obra também não acaba. É preciso que moradores liguem o esgoto de suas casa a elas

Ver Artigo
Seminário – Bacias hidrográficas dos Rios Jucu e Santa Maria

Pela primeira vez na história, as 10 prefeituras que compõem as bacias hidrográficas dos rios Jucu e Santa Maria vão debater os problemas em conjunto e propor soluções

Ver Artigo
Empresa utiliza água da chuva captada de enxurradas da Pedra Azul

A propriedade capta a água da chuva no momento que ela cai pela Pedra Azul, na forma de enxurradas, por meio de dois lagos e quatro reservatórios

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo
As bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória

O aumento do consumo de água na Grande Vitória junto com a redução da demanda tem levado a uma conta amarga: o perigo real de racionamento

Ver Artigo
Dinheiro para plantar florestas

O projeto Florestas Para a Vida, do governo do Estado, pretende remunerar produtores rurais que atuarem em favor do meio ambiente

Ver Artigo
Indústrias sobrevivem dos rios Jucu e Santa Maria

A atividade industrial predomina nas bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória, que concentram o maior contingente populacional do Estado

Ver Artigo
Comitês dos rios Jucu e Santa Maria vão sair do papel

Governador vai assinar decretos de nomeação das diretorias dos rios Jucu e Santa Maria

Ver Artigo