Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Dilúvio em Vila Velha

Enchente do Rio Jucu, 1960

As maiores enchentes que Vila Velha já registrou foram as de 1935, 1943, 1960 e a de 2004.

A de 1935 ficou conhecida como a Enchente Centenária, pois foi no ano em que se comemorou o IV Centenário da Colonização do Solo Espírito-Santense. Canoas e pequenas embarcações desciam a rua Luciano das Neves e aportavam nas proximidades do colégio Vasco Coutinho. Da enchente Centenária, não temos registros fotográficos ainda.

Já as enchentes de 1943 e a de 1960 foram bem registradas e é essa que estamos disponibilizando a você. Do Convento da Penha, o capixaba Aníbal Soares fotografou grande parte de Vila Velha tomada pelas águas. As fotos valem também para mostrar como era Vila Velha na década de 60. Edson Quintaes registrou a última grande enchente, em 2004.

Como ocorrem as enchentes?

Nas enchentes as águas avançam sempre para os locais mais baixos, assim como o rio que sempre corre para o mar. A foto panorâmica de Vila Velha nos oferece uma visão geral dos pontos baixos (críticos) da cidade, que continuam sucetíveis a novas enchentes.

As redes de água pluvial e esgoto sofrem influências das marés fazendo com que as águas não escoem. Na Praia da Costa por exemplo, se o nível do antigo Rio da Costa, hoje cohecido por Canal da Costa, subir muito como aconteceu em 1960, o sistema de escoamento fica estanque. A solução para esses casos seria somente por meio de estações de bombeamento e reservatáorios para estocagem de água. Com um controle computadorizado de comportas, esse material excedente aos poucos ia sendo devolvido ao seu leito natural de escoamento. 

Na Grande Cobilândia, região mais baixa ainda, os lançamentos são feitos no rio Marinho. Na região de Aribiri, lança-se no rio Aribiri e assim por diante em outras bacias. 

Portanto, antes que São Pedro mande mais chuva, precisamos nos antecipar com soluções de engenharia para resolver esse problema que ocorre todo final de ano. Não nos esqueçamos também que o V Centenário já se aproxima (2035).


Editoria Morro do Moreno, 2005



GALERIA:

📷
📷


Vila Velha

Namorados de Vila Velha

Namorados de Vila Velha

Felizes os jovens do passado que sabiam apreciar a beleza do luar que, prateando todas as coisas com a sua suave luz, tornava as noites cheias de encanto e poesia

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Apresentação do livro do Seu Dedê – Por Estilaque Ferreira dos Santos

Dentro de mais alguns anos Vila Velha estará completando 500 anos

Ver Artigo
A enchente de 1960 em Vila Velha – Por Edward Athayde D’Alcântara

Ponte da Barra do Jucu – Na foto o momento que antecedeu a sua destruição quando a ponte foi levada pelas águas da enchente de 1960

Ver Artigo
Festa da Penha – Por Edward Athayde D’Alcântara

A dispersão do povo residente em Vitória ou ao longo da linha de bondes ia até a madrugada; o bonde funcionava 24h

Ver Artigo
Cruz do Campo – Por Edward Athayde D’Alcântara

Começava logo no final da Rua Luciano das Neves e atravessava o pontilhão do Córrego Corre Água (Canal Bigossi)

Ver Artigo
Apicum do Poço - Edward Athayde D’Alcântara

De lagoa em lagoa a água foi se juntando até chegar a lagoa maior conhecida como Apicum do Poço, e principal braço (braço sul) do Rio da Costa

Ver Artigo