Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O reinado do café - O plano industrial de Jerônimo Monteiro

Usina de Açúcar

O café não gerou um processo industrial no Espírito Santo, mas financiou um plano industrial criado pelo presidente da Província, Jerônimo Monteiro, que governou no período 1908-1912. O plano era sofisticado para a época, pois integrava vários setores na exploração de recursos naturais do Estado.

O plano fracassou parcialmente, em parte por causa da eclosão da 1ª Guerra Mundial (1914-1918), em parte porque a proximidade da indústria do Rio inibia os investimentos. O projeto mais bem-sucedido foi o da Usina Paineiras, em Cachoeiro do ltapemirim, que tornou realidade uma velha aspiração da região: a ligação ferroviária entre Itapemirim e Cachoeiro, inaugurada em 1919. A Usina Paineiras, que produzia açúcar e álcool, foi o maior investimento público realizado na época pelo Espírito Santo.

Também deram certo a usina de cimento, que aproveitava as jazidas de calcário do Estado e parou em 1957, depois de quarenta anos de operação; e a fábrica de tecidos, inaugurada em 1914 e fechada em 1980.

A serraria, ultramoderna, foi atrapalhada pela guerra, que desorganizou o mercado da madeira. E nunca mais se recuperou. A indústria de papel também não saiu. Finalmente, por falta de matéria-prima - já que ninguém plantou algodão —, não se construiu a fábrica de óleo de algodão.

Não era grande coisa, mas foi com essa indústria do início do século financiada com recursos gerados pela cafeicultura, que o Espírito Santo chegou aos anos 60, quando um novo plano de desenvolvimento econômico seria experimentado no território capixaba.

 

Fonte: O reinado do café, A Gazeta 31/08/1992
Pesquisa e textos: Geraldo Hasse, Linda Kogure e Abmir Aljeus
Fotos: Valter Monteiro e Tadeu Bianconi
Concepção gráfica: Sebastião Vargas
Ilustração: Pater
Edição: Orlando Eller
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2016

O Reinado do Café no ES

Rota dos Vales e do Café – Casas de grandes personalidades

Rota dos Vales e do Café – Casas de grandes personalidades

A história de ícones da cidade, como Roberto Carlos e Rubem Braga, está preservada nas residências onde eles iniciaram as trajetórias 

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

O reinado do café - Os negros eram mais numerosos no Sul do ES

A região de Itapemirim, no Sul do Estado, concentrou o maior número de escravos no Espírito Santo

Ver Artigo
O reinado do café - Cadê a floresta? O fogo a comeu!

Cadê a floresta? O fogo a comeu! Cadê o rio? Está cheio de entulho! 

Ver Artigo
O reinado do café - Do Reno para terras frias de Santa Isabel

Primeiro vieram os portugueses, que colonizaram o Espírito Santo. Depois, os açorianos, que fundaram Viana, em 1813

Ver Artigo
Os ossos de Palácios – Por Maria Stella de Novaes

Aberta a sepultura, a 18 de Fevereiro de 1609, pelo Guardião e outros religiosos, em presença do povo, ali estavam um pedaço de cordão e outro do manto

Ver Artigo
O reinado do café - O café desfaz um marasmo de 300 anos

Ele chegou devagar, ninguém sabe por onde. E foi tomando conta do território capixaba

Ver Artigo
O reinado do café - Cachoeiro, a ‘capital secreta’ do mundo

Na virada do século, a cidade era rica e cheia de novidades 

Ver Artigo
O reinado do café - Cachoeiro atraiu as primeiras ferrovias

No fim do século XIX, a cidade tinha a força. A força do café

Ver Artigo
O reinado do café - Rio abaixo, em canoas, o café ganha o consumidor

Desde o século passado, a navegação fluvial testava a vocação portuária do Espírito Santo

Ver Artigo
O reinado do café - Os burros carregaram o estado nas costas

As tropas de burros tiveram uma importância fundamental no transporte do café e de outras mercadorias no território capixaba

Ver Artigo