Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Domingos Martins (desaparecida) – Por Elmo Elton

Vitória, Igreja da Misericórdia na Praça João Climaco até 1908 - Autor: André Carloni em 20/08/1971

Do largo da Caridade, que ficava ao lado da igreja da Misericórdia, quando ainda não existia a Rua Pedro Palácios, partia um caminho que ia dar no largo da Matriz, onde hoje se ergue a Catedral. Tal caminho, em meados do século XIX, passou a denominar-se Rua Domingos Martins, homenagem ao capixaba da Revolução Pernambucana de 1817.

Dita artéria foi demolida, parcialmente, nos governos de Florentino Avidos e Aristeu Borges de Aguiar, sendo que, quando prefeito Américo Poli Monjardim, os sobrados e casas que ainda restavam de pé foram postos abaixo, tendo o autor conhecido, lá por volta de 1934, algumas dessas antigas residências, como, por exemplo, a de número 17, onde funcionava a Escola Remington. Essa escola, inaugurada a 5 de abril de 1920, sob os auspícios do representante da Casa Pratt, em Vitória, teve como primeira e única professora a senhora Celina Florêncio, residente no mesmo imóvel. Registre-se, porém, que a primeira professora de datilografia da cidade chamava-se Adelina Tecla Corrêa Lírio, igualmente a primeira mulher capixaba a publicar versos nos jornais da cidade, notadamente na Gazeta da Vitória.

Na Domingos Martins, ao que se sabe, residiam famílias tradicionais, como as dos Drs. Estêvão Siqueira, José Batalha Ribeiro, Antônio Aguirre, Clodoaldo Linhares e a do Sr. Hortulano Fraga. Também aí residiu o tabelião Rômulo Leão Castello, em imóvel que não foi desapropriado, tanto que, em razão disso, as Listas Telefônicas, até 1982, relacionavam a Rua Domingos Martins como ainda existente.

 

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2017

Bairros e Ruas

Por quê o nome do viaduto é Caramuru?

Por quê o nome do viaduto é Caramuru?

O Viaduto foi construído em 1925 com o objetivo de ligar as ruas Dom Fernando e Francisco Araújo e servir de passagem para o bonde, que então circulava pela Cidade Alta.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Rua Cais de São Francisco (ex-cais de São Francisco)

Quem passa hoje, pela rua Cais de São Francisco, fica intrigado com esta denominação. Ora, por que tal nome, se não há ali cais algum?

Ver Artigo
Rua Sete de Setembro (ex-rua da Várzea)

Partia da Prainha (largo da Conceição) e terminava na rua da Capelinha (atual Coronel Monjardim), hoje se alongando até a Fonte Grande

Ver Artigo
Rua Wilson Freitas (ex-ladeira Pernambuco)

Tem início na rua do Rosário. A antiga ladeira, que ganhou calçamento no governo de Florentino Avidos, servia de acesso aos terrenos da Capixaba, antes da total urbanização dessa área

Ver Artigo
Iluminação das ruas de Vitória no século XIX

No começo da escadaria de acesso à igreja do Rosário, viam-se até pouco tempo passado, ainda, arcos de gambiarra desse sistema de iluminação

Ver Artigo