Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Capixaba: valores únicos!

Paneleiras de Goiabeiras - A queima

De todos os aspectos culturais peculiatres do ES, o mais evidente, talvez, seja a nossa culinária. E, neste quesito, temos valores que são só nossos. A panela de barro, por exemplo, com suas formas irregulares e sua coloração escura, não pode ser encontrada em outro lugar.

Tradição passada de mãe para filha, confeccionar a panela de barro é quase uma instituição. O utensílio, que tem tamanhos variados, junto com o coentro e o colorau, faz qualquer um perceber a diferença entre uma peixada e uma legítima moqueca capixaba.

Mas não é só isso. Outros costumes nos foram passados nesses anos de colonização. O congo, da forma como existe no ES, é único. Em outros estados do país, a manifestação acontece. Mas as bandas de congo são uma peculiaridade nossa, do capixaba.

Elas são características da região litorânea do estado e se destacam por seus cânticos em tons dolentes, os versos espichados e repetidos à exaustão. Os temas são variados. As bandas de congo estão sempre presentes nas festas folclóricas e nas festas dos santos: São Benedito, São Sebastião e São Pedro.

O folclore capixaba é rico em manifestações líricas e abrange um campo variado de tradições, que misturam o sagrado e o profano. Entre as tradições, podemos destacar as bandas de congo, no litoral; o Ticumbi, em Conceição da Barra; a Puxada do Mastro, na festa de São Benedito, na Serra; e as Folias de Reis por todo o estado.

 

Fonte: A Tribuna - 21/05/2000

 

Links Relacionados:

>> Capixabas, modéstia à parte 
>> A mexerica pocou!!!
>>
 
Capixabês 
>> Folclore Capixaba 

Matérias Especiais

A Caminho da Vitória - Por Mário Gurgel

A Caminho da Vitória - Por Mário Gurgel

Thiers Vellozo era jornalista. No seu diário, sempre esteve a serviço de causas nobres e retas, combatendo os desmandos, perseguindo tenaz e irredutivelmente os que se esqueciam da verdade e negavam os princípios da democracia

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Anos de 1570, e 1572 e 1573 - Por Basílio Daemon

Alguns anos depois, as expedições de Tourinho e Adorno tiveram êxito mais compensativo   

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro - Capítulo XVI

Fazia-se o desembarque de passageiros, em escaleres e lanchas pequenas que atracavam às escadas dos navios

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro - Capítulo II

Na foto ilustrativa, o casal Francisco de Sousa Monteiro e Henriqueta Rios de Sousa, pais de Jerônimo Monteiro (fim do séc. XIX). APEES — Coleção Maria Stella de Novaes

Ver Artigo
Saudações - Fernando Antonio de Oliveira

Carta endereçada ao escritor Walter de Aguiar Filho, autor do livro "Krikati, Tio Clê e o Morro do Moreno", pelas lembranças que nos traz sobre Vila Velha de outrora e pelo alerta sobre a identidade e cultura do canela-verde. Confira!

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VIII (FINAL)

Cristóvão Jaques foi o único que fez reconhecimentos e assentou padrões, conforme estão de acordo todos os cronistas e historiadores, estando por isso provado ser ele o primeiro que reconheceu a costa da província do ES

Ver Artigo