Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

O Marrocos

Rua Duque de Caxias e o Bar Marrocos mais a frente

O MARROCOS

 

Os bares nascem, vivem, parecem eternos a um

determinado momento, e morrem.

Paulo Mendes Campos

 

 

 

Acabo de saber - mas que castigo!

que acaba de fechar meu velho bar.

Fechou tranqüilamente sem pesar.

num último e sentido adeus amigo.

Daquela velha rua só restava

o Marrocos, já por demais cansado,

vivendo tão-somente do passado,

fingindo que ele apenas não mudava.

Velhos pileques pelas madrugadas,

conversas, mesas fartas de bebidas,

dores de cotovelo mal curtidas,

agora são lembranças alojadas

     amarga e tristemente na memória

     da cidade moderna que é Vitória.

 

 

Fonte: Escritores de Vitória, 1995
Autor: Miguel Depes Tallon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro de 2014

Literatura e Crônicas

Maria Ortiz: mea culpa...

Maria Ortiz: mea culpa...

Espírito Santo, perdoe-me, pois errei. Confesso: parte da culpa é minha, se a Caprichosos de Pilares “rebaixou” Maria Ortiz à condição de prostituta

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano Novo - Ano Velho - Por Nelson Abel de Almeida

O ano que passou, o ano que está chegando ao seu fim já não desperta mais interesse; ele é água passada e água passada não toca moinho, lá diz o ditado

Ver Artigo
Ano Novo - Por Eugênio Sette

Papai Noel só me trouxe avisos bancários anunciando próximos vencimentos e o meu Dever está maior do que o meu Haver

Ver Artigo
Cronistas - Os 10 mais antigos de ES

4) Areobaldo Lelis Horta. Médico, jornalista e historiador. Escreveu: “Vitória de meu tempo” (Crônicas históricas). 1951

Ver Artigo
Cariocas X Capixabas - Por Sérgio Figueira Sarkis

Estava programado um jogo de futebol, no campo do Fluminense, entre as seleções dos Cariocas e a dos Capixabas

Ver Artigo
Vitória Cidade Presépio – Por Ester Abreu

Logo, nele pode existir povo, cidade e tudo o que haja mister para a realização do sonho do artista

Ver Artigo