Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Alemães e Pomeranos

Santa Izabel no início do Século XX

Falar da presença alemã na cultura do Espírito Santo é se dirigir obrigatoriamente para a região Serrana do Estado. Chegando lá, é necessário uma diferenciação entre o que é alemão e o que é pomerano. Apesar de terem as mesmas origens germânicas, ambas as culturas são bastantes diferentes. A começar pela língua: pomeranos falam um dialeto que é incompreensível para os falantes de alemão. Ao contrário do restante do país, onde os imigrantes de origem germânica eram alemães na sua maioria, no Espírio Santo aconteceu o contrário: a prevalência é de pomeranos.

Os alemães começaram a chegar ao Estado a partir de 1847 e fundaram a colônia de Vila Izabel. Os pomeranos, a partir de 1859. Mas em 1868, no calor da unificação alemã, o governo germânico impediu a imigração (com exceção dos pomeranos). Assim, o alemão propriamente dito permaneceu na Europa.

Você pode ler também sobre os italianos no Espírito Santo adquirindo o livro Santa Teresa - Viagem no tempo - 1873/2008, de Sandra Gasaprini.

 

Fonte: A Gazeta de 29 de agosto de 2009
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2013
Nota do Site: Você pode ler também sobre os italianos no Espírito Santo adquirindo o livro Santa Teresa - Viagem no tempo - 1873/2008, de Sandra Gasaprini

 

LINKS RELACIONADOS:

>> Imigração no ES
>> Domingos Martins 
>> Santa Maria de Jetibá 
>> Santa Leopoldina 

História do ES

Ano de 1849 – Por Basílio Daemon

Ano de 1849 – Por Basílio Daemon

Naufraga à noite de 09/02/1849, a sumaca nacional Santa Ana, impelida por forte ventania, a bater sobre a laje conhecida por Baleia, dando fundo entre o monte Moreno e ilha do Boi 

 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Palavras que vieram da África

A influência do negro na nossa cultura foi bastante expressiva. Os hábitos e costumes africanos penetraram no nosso cotidiano

Ver Artigo
Epidemias e Ameaças - Por Serafim Derenzi

Os franceses, que ameaçaram a costa em 1551, voltaram em 1558 ao Porto de Vitória, onde dormiram 

Ver Artigo
A febre amarela no Espírito Santo em 1850

A Providência Divina vela certamente sobre a população desta Província que, sem o seu auxílio, estaria hoje extinta por falta de recursos da medicina

Ver Artigo
Varíola, cólera, fome em meados do Século XIX no ES

Já em fevereiro de 1855, um ofício do barão de Itapemirim falava em mais de mil vítimas 

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo