Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Futebol Capixaba

Santo Antônio Futebol Clube

Na década de 50, reinava no futebol capixaba o time Santo Antônio Futebol Clube, fundado em 5 de novembro de 1919 por dirigentes do Tiradentes Futebol Clube.

O Santo Antônio foi seis vezes campeão estadual até fechar suas portas em 1989 e deixar órfãos espalhados por todo o Estado.

Primeiro campeão capixaba sem perder sequer um ponto nas disputas, o Santo Antônio foi tricampeão estadual entre os anos de 1953 e 1955 e venceu seu último título em 1961. No auge da sua história, os tricampeões foram convidados pelo Flamengo, de Zagallo, Dida e companhia para a festa comemorativa do tricampeonato carioca.

Numa grande festa com um Maracanã lotado, o Santo Antônio foi derrotado por 3 a 0, saindo do templo do futebol com seus jogadores sendo apelidados de Maracanãs.

Estádio

Em 1958, o Santo Antônio realizava o sonho de todo clube: ter um estádio próprio. O estádio foi inaugurado no bairro da Glória, era o Estádio Rubens Gomes. Na partida de abertura, um jogaço contra o Botafogo e os capixabas ganharam de 3 a 0. No ano de 1963, o clube entrou em decadência. O Estádio Rubens Gomes foi abandonado, até que em 1989, o presidente Joel Serrano vendeu a sede do clube para o governo do Estado, na época com Max Mauro. Mais tarde, a área foi passada pelo governo Albuíno para a Prefeitura de Vila Velha, que no ano de 1991, construiu uma Vila Olímpica para projetos sociais e desenvolvimento de altetas.

 

Fonte: A Gazeta (2/9/2007) - Por Thierry Gozzer

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Gardênia Azul, Clube Olímpico e seus frequentadores

Conheça quem era a rapaziada de Vila Velha que na década de 50 frenquentava o Clube Olímpico

Ver Artigo
O 1º Clube Carnavalesco de Vitória

Funda-se neste ano de 1874, nesta capital, uma sociedade com o título Clube Recreio Carnavalesco, com o fim de oferecer a seus sócios distrações

Ver Artigo
A Origem do nome Siribeira Clube de Guarapari

Árvore Siribeira, árvore - símbolo que o vendaval inclinou, como numa reverência, sem abater, contudo, através do tempo. Palavras de: Heliomar Carneiro da Cunha, no alvorecer do Siribeira Clube

Ver Artigo
Lançamento da Pedra Fundamental do Siribeira Clube

A presente ata será depositada com moedas correntes e jornais do dia, em urna própria, no alicerce do prédio como se faz, de hábito, ao ser lançada a pedra fundamental

Ver Artigo
A bola - Por José Anchieta de Setúbal

O instrumento mais importante para a realização de uma partida de futebol, por certo, é a bola de couro.

Ver Artigo
Os clubes e festejos de Vila Velha

Os animadores culturais de outrora e carnavalescos eram o Clementino Barcelos, Miguel Aguiar, Jair Amorim, Pedro Silva, Manoel Feu, Fernando Lyra, Saturnino Rangel Mauro, Lucio Bacelar, Pacífico e os irmãos Carino

Ver Artigo
Clube dos Democráticos e dos Fenianos

O Clube dos Democráticos localizava-se a Rua Vasco Coutinho, mais precisamente no térreo do Hotel do João Nava e o Clube dos Fenianos era na Rua Vinte e Três de Maio, paralela à Rua Vasco Coutinho

Ver Artigo
Editorial - Futebol em Vila Velha

Não poderíamos deixar de divulgar os primeiros passos do esporte em Vila Velha, registrado pelo saudoso José Anchieta de Setúbal no livro Ecos de Vila Velha

Ver Artigo
Rio Branco foi maior ganhador

O Rio Branco é, disparado, o grande vencedor do Torneio Início, tendo sua equipe se sagrado campeã 24 vezes, das 51 edições de que participou

Ver Artigo
Cesan vence último torneio

Os quatro últimos torneios, de 1968 a 1971, mostraram novamente a força da equipe do Rio Branco. Os alvinegros sagraram-se tricampeões no período de 1968/1970, ficando o título da última edição com a Cesan

Ver Artigo
Bola cheia em Santa Teresa

A memória mais antiga do futebol teresense está na década de 20 e 30 e depois na famosa década de 50 a 60. Faziam parte da equipe estudantes e funcionários apenas que vez ou outra treinavam porque trabalhavam, muitos no Banco do Brasil

Ver Artigo
Jayme Navarro de Carvalho

Jayme Navarro de Carvalho remou de 1947 até 1958. Foi também coringa do esporte, praticando diversas outras modalidades. Hoje dá nome à Lei Municipal que incentiva os esportes amador e olímpico de Vitória.

Ver Artigo